Amor

VERMELHO É A COR MAIS QUENTE

Alguns detalhes transformam a personalidade de uma mulher. Usar vermelho é um deles. Cor que personaliza a independência feminina, a volúpia, a sensualidade. Ser vermelho é o tom da mulher. Vermelhar é desejar, ousar, persuadir. Cor que mata, mas não fere. Provoca e seduz. Desatina.

Um vestido vermelho é o uniforme da insensatez. Ao usá-lo, as esquinas se dobram, o trânsito paralisa, a lua muda de cor para refletir a silhueta de um ser escarlate. Divino e infernal ao mesmo tempo. Impactante como toda mulher deve ser.

O batom vermelho contorna a boca, diz mais do que os olhos aflitos. Fala o que a boca cala, o que o peito grita. Beija sem a língua, inebria a vontade, desafia o paladar do amor. O desejo tem o gosto suave de um batom vermelho, sabor de lábios molhados. Êxtase em forma de um coração na face.

Uma lingerie vermelha é o maior convite para a perdição. Uma sutil nuance que representa toda feminilidade. Veste a audácia da pele, protege o tesouro da mulher, permite a tenacidade de ser quem ela quiser, para querer quem quiser, a hora que quiser. Um peça que destoa de qualquer tom de pele, da natureza angelical de qualquer fêmea. Transforma qualquer menina indefesa numa mulher voraz. O vermelho devora.

Um detalhe, uma vontade, um desejo. O vermelho é a cor mais quente, o tom da paixão, o verdadeiro brilho colorido de uma mulher.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *