Café das Segundas, Sexo, Amor & Crônicas

VAZIO

Que saudade de um brilho no olhar. De respirar apertado, de um frio na barriga e um calor no coração. É melhor amar e não ser correspondido, do que um cômodo vazio. Acordo todos os dias e fico pensando, pensando…em quem pensar. Vivo a agonia constante de perseguir o acaso, procurar suspeitos para uma dor que não sinto, de esperar o inesperado.

Eu desafio o dia, saio de casa renovando esperanças e colhendo frustrações. Cada hora que passa e meu coração não pulsa, me sinto uma fracassada. Só queria um soluço de alegria no peito, um sorriso que me deixasse com a cabeça grudada no vidro do ônibus, enquanto escuto aquelas músicas que tocam no rádio.
A gente reclama quando está apaixonada, pois a vida nem sempre é generosa com os sentimentos. Às vezes o que sentimos é tão puro, que entregamos a quem não merece, e, por isso, não recebemos retribuição alguma pela nossa afeição. A rejeição causa uma dor incomensurável. É inimiga do orgulho e da autoestima, parceira fiel da mágoa. Anda lado a lado com a depressão.
E mesmo com todos esses riscos, insisto em buscar alguém que seja a bússola do meu pensamento, razão de fechar os olhos para poder aguçar os demais sentidos. Que falta que eu sinto de alguém para fazer as coisas mais bobas do mundo, como ligar antes de dormir só pra dizer que amo, mandar uma mensagem no celular de madrugada para que eu seja a primeira pessoa a lhe dar bom dia, ou então passar naquela loja de bazar perto do meu trabalho e comprar uma lembrancinha que mostre o quanto eu me importo. Que saudade de ter saudade.
Volto pra casa, pensando naquele cara que não existe, na sensação gostosa que é ser inteiramente de alguém. Dedicar meus dias a te viver e minhas noites a te sonhar. Suspirar com vontade, trocar o vazio da cama pelo peito cheio de dúvidas. Suar frio ao saber que irei encontrar a pessoa que mexeu comigo, como há muito tempo não acontecia. Não sei se eu te inventei, mas em algum lugar você está. De alguma forma, você existe. Só preciso te encontrar. Quem sabe amanhã…

5 comentários no “VAZIO

Deixe uma resposta