Amor

ÚLTIMO BEIJO

Como saber se aquele beijo será o último? Não sei como eu sabia. A relação balançava ha algum tempo. Não por falta de sentimento. Por falta de maturidade. Queríamos coisas diferentes. As mesmas coisas dentro de ideias novas. Queríamos um ao outro e não soubemos aproveitar o que a gente tinha de melhor: o amor que nos unia.

Dúvida da boca. Beijar ou travar a língua? Recuar ou chegar perto e deixar o instinto agir? Beijei. Com todo meu sentimento. Um encontro dos lábios como um suspiro buscando oxigênio. Falta de ar e ao mesmo tempo a certeza de que precisava respirar aquele beijo. Coração bateu forte, corpo tremeu, pele sentiu. Incrível como a conexão dos nossos rostos conseguiu mexer com tanta coisa. Com a minha vida. Já não sabia mais de nada. Se devia insistir no que não deu certo, se devia sair correndo após aquele beijo. Minha única certeza era que eu não queria sair dali. Não queria parar de beijar.

Beijo mesmo quando é último, é o primeiro com sensação de eternidade. Indescritível. Não tem fim. Não acaba no afastar das bocas e no choque dos olhos. Perpetua um gosto de depedida e intensidade pra todo sempre. Meus lábios nunca mais serão os mesmos. Pra sempre avulsos sem esse beijo. Sem esse último beijo.

Ainda procuro o sabor da tua boca em sorrisos laterais. O olho cai e o pensamento volta pra’quela noite no teu carro. Não pensamos, apenas beijamos. Sabíamos que estávamos selando um fim. Com um beijo. Lindo como o primeiro, porém com todo o amor acumulado em meses de história. De paixão. De vontade. Todo meu eu desaguou no corpo teu. Virei teu. Como se algum momento deixei de ser. A verdade é que não era mais eu. Entregue. E no fim, eu era tão feliz.

Queria tanto mais um beijo. Um últmo beijo.