Sexo, Amor & Crônicas

TEMPO

 

Após tanto tempo, claro que não é a mesma coisa. É melhor. As pessoas não se permitem mais descobrir o outro. Não há tempo pra isso. O mundo gira numa velocidade tão grande, que esquecemos de parar. Precisamos parar um pouco. Observar um filho crescer com calma ou admirar a esposa, que já atravessou a juventude e mesmo assim ainda carrega uma paixão no olhar.

Demora muito tempo até percebermos que a gente discute por muito pouco, se importa com menos e se preocupa demais. O estresse virou doença contagiosa e não há vacina para ela.

As pessoas perguntam como podemos manter a chama acesa após tanto tempo. É simples, não há lógica no amor verdadeiro. Mas tem que ser aquele em que você não se imagina com outra pessoa. Na verdade, pensar em estar com outro alguém deve soar estranho aos ouvidos do corpo. Eu conheço a alma dela e me apaixono a cada dia. O cheiro é o mesmo de quando a vi pela primeira vez e basta eu fechar os olhos para me lembrar porque gosto tanto, porque preciso tanto estar com ela. O olhar e o sorriso permanecem intactos e se o corpo já não responde da mesma forma, a experiência, a pele e o toque, me fazem querê-la com mais vontade.

Te admiro pelo contexto, jamais pelos retoques. Observo tua candura ao cuidar do cabelo pela manhã, espio tua autoridade com as crianças durante o dia e aproveito teu calor antes do adormecer. Envelhecer ao teu lado é uma verdeira aventura diária, redescobrimento do amor, renascimento constante.

A rotina não é fácil, mas a gente se encaixa. E a nossa história vai sempre criando novos fatos, novas vontades.

A intimidade é pré-requisito para a felicidade.

7 comentários no “TEMPO

Deixe uma resposta