Sexo, Amor & Crônicas

SONHO DE AMOR

 
Existe um mundo onde tudo é possível. Um universo onde rompemos os limites da realidade. A mente humana é capaz de nos levar a lugares distantes, desconhecidos e de nos colocar em situações inalcançáveis pelo cotidiano palpável. E há um momento em que o nosso pensamento trabalha de forma incontrolável: quando adormecemos.
 
Não há como prever ou dominar. Simplesmente acontece. Eu nem pensava nela dessa forma, cruzava com ela e nunca precisei descobrir nada além das poucas palavras que trocávamos quando em vez. Mas em uma noite tudo mudou.
 
Naquela sensação turva de descoberta, de tentar decifrar o que é real e o que não é, vivemos o sonho de uma forma intensa. Parece real, mas é verdadeiro demais para isso. Sabemos que é sonho, mas não temos certeza se estamos dormindo. É um despertar da alma, numa vida paralela em que tudo é permitido. Ah, se pudéssemos ter consciência enquanto dormimos. Se eu tivesse a certeza de que, ao acordar, tudo voltaria ao normal. Se pudesse controlar minhas ações, cometeria as mais insanas loucuras. Mas isso é apenas um sonho.
 
Um sonho trata-se de um portal para uma outra dimensão. Por vezes não temos o mesmo nome, interagimos com outras pessoas, moramos numa casa diferente. E essa distorção da realidade nos indica que estamos sonhando, mas nunca temos certeza, de fato. Estávamos no carro, indo para algum lugar que eu não me lembro agora. Brincávamos. Aquele furor no peito foi aumentando, sensação juvenil, risos e a vontade de beijá-la. Não existe estado civil ou limites para moral no sonho. É um des(a)tino sonâmbulo que determina até onde podemos ir.
 
Chegamos numa espécie de chácara. Um retiro, com uma casinha ao fundo. O sonho pula algumas partes, os detalhes se misturam, ora intensos, ora abreviados. Em segundos, estamos na mesma cama e o beijo parece tão real. O que o corpo sente nessa hora atravessa o sono. São reações muito verdadeiras e tenho quase certeza de que, a partir desse momento, conheço o sabor dos lábios dela.
 
Parece que vou ser pego, enquadrado, condenado, ainda não sei exatamente o  porquê. O sonho acaba, mas aquele calor no peito, não. O corpo segue estremecido com aquela paixão momentânea, voraz e inesperada. Era um sonho, mas mudou a realidade. Modificou a minha percepção sobre ela. Será que ela beija daquela forma, será que seu corpo é tão quente? Mais do que a sede por respostas, acordei com vontade de ligar pra ela na esperança de que ela tivesse sonhado a mesma coisa que eu. Que não fosse um simples sonho e sim uma fuga do mundo real, um encontro das nossas almas para o deleite do proibido.
 
Quando sonhamos assim, há um descontentamento com a existência. Sentimento de culpa por ter ultrapassado barreiras indevidas e de forma inconsciente. Contradição ao reclamar da ousadia da mente e, ao mesmo tempo, do inevitável despertar. Ninguém gosta de interromper um sonho bom, uma aventura além dos cinco sentidos.
 
Sonhar e viver são verbos separados por um piscar de olhos.

Um comentário no “SONHO DE AMOR

  1. Conversas comigo ou contigo mesmo

    Parece óbvio o que sou, como procederei, como tu encararás minhas ações.
    Parece óbvio os meus sonhos, porém, não podem, não podem de maneira alguma ser concretizados, eu não quero, eu não posso deixar, eu não aceito, não aceitarão.

    – Não preciso mudar nada! Eu não posso mudar! Eu adoraria mudar…
    – Não, tenho que parar com esses pensamentos. Seus… Pensamentoooos!!
    – Necessito pensar.
    – Ei, por favor, alguém aí em cima!??? Espera, não, já tive essa conversa, e sei como acabou.
    – Aí, que papo doido é esse?
    Talvez uma oração, uma prece, uma promessa…
    – Já sei!! Subirei de joelhos até a última pedra da bendita serra!!
    – Mas, acho que não… Quê, que eu tô dizendo?
    – Esquece, não vai dar certo, já fez promessas demais!
    – Não, mas, e se der certo dessa vez?
    – Não morrerá por AMOR, e sabe disso.
    – Viverá sem. isso é fácil, todo mundo vive, diferente, mais sobrevivem.
    – Para com isso, você não viu seu Idiota? Não é culpa de mais ninguém além de você mesmo.
    Carregue isso, sofra por isso, viva a minguas sem saber. Deseje-me, sinta todo e qualquer vontade de me ganhar de volta.
    – Eu amo outra pessoa. Essa é a segunda.
    – Amores diferentes, amores desenvolvidos. Eu que escolho, eu que escolho o meu amor.
    – Eu deixo de amar. Começo a amar. Paro novamente, e retomo.
    – Eu nunca deixei!?
    – Sou completamente independente, eu decido minhas ações, eu decido até meus sentimentos!
    – Faço o que é correto, pois o que na verdade importa não é quem eu tenho na vida, mas quem as pessoas pensam que tenho.
    – E não me incomodo com isso, afinal, sou eu que estou no comando!

    – Sinto-me completamente feliz, eu sou feliz, Eu sou Feliiiiz!!
    – Calma, tudo bem, você é feliz, já conseguiu me programar.
    – É melhor você ir dormir, já é tarde, e amanhã bem cedo, precisa trabalhar.
    – Eu Não consigo!!
    O que poderia atormentar lhe? Planos de aulas, diários, caixinhas de som?? Já sei, falta margarina , e está com medo do pão ficar sem gosto no café da manhã?
    Espera, quem é este que dorme com você?
    – O que vc disse?
    Socorroooooooooooo!
    Um estranho na minha cama!!

Deixe uma resposta