Sexo, Amor & Crônicas

SINAL DO AMOR

Segundos que parecem horas. O caos sincroniza. Alguns carros passam, outros param. Na janela ao lado, um rosto pensativo. Apreensão. Pressa, misturada ao cansaço. No retrovisor, além daquilo que não volta mais, os olhos aflitos buscam uma resposta. E como naquelas antíteses da vida, o pensamento vence a inércia e voa longe.

 
Lógico que estou pensando em você. Desde que nos conhecemos eu praticamente sou você. Tava tudo indo tão bem, até que uma série de dúvidas invadiu a minha cabeça. Pelo menos não há incertezas no meu coração e é ele quem me guia nesse momento. Eu não sabia se era a hora, se a gente devia insistir, se deveríamos arriscar uma relação. A verdade é que eu sempre deixei o medo me dominar. Aquele medo covarde e ingênuo. Medo com uma dose de humildade, até. Medo querendo ser coragem. Medo de ser feliz.
 
O olhar turvo, sem direção esbarra no malabarista à frente dos carros. Sorrio. A arte sempre nos aponta uma resposta, mesmo que ela não saiba, não é mesmo Oswaldo Montenegro? E a minha metade na canção parece estar bem longe do meu corpo. Entregue a uma sensação que eu ainda não conhecia.
 
O vermelho brilha, hipnotiza o fluxo, comanda a sinergia do tráfego. A senhora atravessa a rua, a criança corre no canteiro lateral e o motociclista busca um espaço para se acomodar uns minutos antes de retomar a jornada. Movimentos. Barulhos. E a saudade gritando dentro de mim. Preciso tomar uma decisão.
 
A aceleração aumenta. A palpitação também. A embreagem lá no fundo, segura pela ponta dos dedos, representa a minha insegurança. Basta um pequeno gesto para seguir em frente, correr em busca daquilo que me faz feliz e não haverá nenhum sinal vermelho para me parar.
 
Cansei de esperar. Busco consolo no rapaz esperando o ônibus que não chega. A moça corre em meio à via, agarrada na bolsa, com a simples meta de alcançar a calçada sã e salva. E eu só quero que o Oswaldo me ajude a chegar no meu destino. Seja ele qual for.
 
Sinal aberto. Hora de aceitar a verdade. O sinal verde do amor está me chamando e eu não posso mais refutar. Sinal de que estes segundos no semáforo me ajudaram a decidir. Um sinal que eu precisava e estava onde eu menos esperava. Hora de seguir em frente, em busca de você, em busca de mim, em busca de nós. Correndo atrás de um mero sinal de felicidade.
 
O sinal abriu e o meu coração também.

Deixe uma resposta