Sexo, Amor & Crônicas

SINAIS

Somos tão destrambelhados na arte da conquista que despejamos toda nossa intenção num simples sorriso, num mero olhar que nos entrega, ou até disfarçadamente escondidos atrás de um chat no celular. Emitimos sinais apenas por pensar. Ninguém consegue esconder o desejo.

Nem estou falando daquela intenção cristalina, no olhar insinuante, no sorriso galanteador, na cantada barata ou com um certo valor. Me refiro à uma energia que emanamos além da nossa vontade. Acima do nosso querer querer. Muitas vezes até sentimos essa energia de uma outra pessoa, num embarque de um voo doméstico, na fila do banco, entre colegas de trabalho, no caixa do supermercado, ou até com pessoas conhecidas. Ignoramos por pisotear na suposta prepotência de receber tal graça. Nossa timidez impede de ver a flechada do cupido.

O contrário também é verdadeiro, ou você acha que a mira do Cupido atinge somente os outros? Se você se interessar por alguém, sentir o peito acelerar, começar a suar, tenha certeza, você enviou sinais. Se você falou alguma frase, comentou alguma foto de um jeito que só depois você se deu conta, sua vulnerabilidade pode ter lhe entregado. Se a outra pessoa percebeu ou não, aí é outra história.

Existem algumas situações bem mais claras. O “oi sumida” é até caricato. “Há quanto tempo não nos vimos, precisamos sair pra tomar um café, beber algum drink.” Logicamente, são frases que não necessariamente estão imbuídas de segundas intenções, mas dentro de um contexto maior será possível perceber o verdadeiro sentido da conversa. Ainda somos homens, mulheres, pessoas com instintos, temos atração pelo outro e esse botãozinho pode ser ligado a qualquer momento.

Basta identificar os sinais.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *