Amor, Quarta do Sofá

SIMPLICIDADE

simplicidade

O amor é discreto, surge nos detalhes e impressiona pela sutileza. Está na sintonia ridícula de falar uma bobagem ao mesmo tempo. Adivinhar pensamentos sem possuir nenhum poder aparente. Simplesmente por viver você. E praticamente ser você.

Não há extravagância no amor. Demonstrações calorosas fazem parte da personalidade de cada um. Surpreender é maravilhoso, enviar para o trabalho dela mil margaridas amarelas é digno de uma cena de seriado americano. Convidar violinistas para um jantar é extremamente romântico, comprar aquele vinho italiano de 700 reais com a safra da década de 90 é expansivo, mas estou falando de provas silenciosas e portanto mais verdadeiras.

Nada importa mais do que o seu tempo destinado a ela. Quando ela chegar em casa empolgada contando uma novidade, feche seu livro, abaixe o volume da televisão, atente-se a cada palavra olhando-a nos olhos. Dê sua opinião, sorria, vibre com sua conquista. Ela quer compartilhar da sua felicidade e não é justo receber indiferença. Se chegar triste, pare tudo que está fazendo e primeiramente abrace-a longamente. É o primeiro antídoto da tristeza. Beije-a na testa e diga que está ao seu lado.

Quando ela acordar de um pesadelo no meio da noite, puxe-a pra perto de você. Assim, ela saberá que nada de mal vai lhe acontecer. Quando ela adormecer repentinamente, busque um cobertor para acalentar. Observe-a dormindo e entenda como aqueles segundos podem revelar sua beleza, apenas por ela existir.

Ligue no meio do dia para dizer que a ama. Não mande mensagem. Telefone. Escute a voz dela, se faça presente. A virtualidade pode transformar matrimônios em relações impessoais. Olhe nos olhos quando encontrá-la. Sinta seu perfume, toque nos cabelos e acaricie seu rosto. Sinta verdadeiramente a presença dela. O amor é a rotina de viver.

O peito dela aconchega, o sexo extenua, as risadas revigoram. O amor escreve linhas tão precisas em frases curtas, poemas nada complexos, textos objetivos. É fácil explicar o amor, o difícil é sentir. Privilégio de amar e ser amado como dádiva. Sentimento único  tão claro, profundo e ao mesmo tempo visível, intrínseco ao casal apaixonado. Está na companhia diária, nos cuidados noturnos, na preocupação constante.

Vontade permanente de estar lado a lado, sentir-se protegido pelo acaso de ter encontrado aquela paz no peito. Uma certeza de que respirar agora faz sentido. Planejar ficou mais fácil, pois basta fazer acontecer.

O amor é o amanhecer feliz, sono na chuva. Apesar da poesia, pode muito bem ser raso e não menos intenso. Está no sorvete preferido e sair na madrugada para buscá-lo. Dançar no meio do shopping e rir da cara de espectadores surpresos pelo fato inusitado. Querer ficar acordado para passar mais tempo com ela. Não querer despertar para não abandonar aquele abraço no berço.

Amar é simplesmente viver cada segundo sem se dar conta que a felicidade está ali, na gargalhada da alma, na timidez de parecer estar descoberto pelo coração entregue, revelado. Na sutil alegria por ter você comigo.

O amor é simples. Simples assim.

2 comentários no “SIMPLICIDADE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *