Sexo, Amor & Crônicas

RISO DO AMOR

 

 

Rir é o melhor remédio para as dores do casal. Melhor do que ter alguém para conversar, é saber que nosso riso não está só. Compartilhar risadas, gargalhar até lacrimejar e a barriga doer, para na sequência suspirar e perceber que o amor combina com a alegria de sorrir acompanhado.
 
Sexo é ótimo, sintonia é fundamental, diálogo e respeito são a base de tudo, mas ter alguém para rir é garantia de uma parceria eterna. Quando um casal perde a capacidade de se divertir na solidão a dois, de brincar com o próprio desastre que é conviver na rotina, a alegria da relação perde o significado. E sem alegria, o amor fica apenas com seu lado trágico.
 
Aquele jeito destrambelhado de fazer as coisas e conseguir tropeçar no fio do ferro de passar roupa, de cantar a letra errada de uma música, de se queimar cozinhando. Ou quando ela comprou mais do que deveria no shopping e te olha com aquela cara revirando os olhos como criança que acabou de aprontar. Situações que te arrancam um sorriso, em que os olhos riem juntos, quando o corpo agradece tamanha fortuna em estar com aquela pessoa.
 
É o verdadeiro sinal da chamada felicidade.
 
Rir da vida, das coisas, da forma distraída com que o amor nos enche de graça. Gargalhar com vontade e decorar a risada dela como uma lembrança de paz, como um suspiro de saudade. Você sabe que ama quando persegue aquele sorriso, quando o riso dele te acalma, quando a alma sorri ao despertar acompanhado na cama.
 
O amor é o sorriso da vida. 

Um comentário no “RISO DO AMOR

Deixe uma resposta