Sexo, Amor & Crônicas

RECOMEÇAR

recomecarÉ tão difícil recomeçar. Meu porta-retrato virou a lápide de nós dois. As fotos me confundem, minha felicidade ficou ali, congelada. Fico olhando pela janela do meu quarto e parece que esse mundo não me pertence. Tenho que trabalhar daqui a pouco, mas não entendo porque não posso apresentar um atestado de invalidez emocional. Sou a favor de uma lei que estabeleça uma “licença pé na bunda”, ou um “auxílio fossa”. A dor do fim de uma relação é física, não tem nada de sentimental nisso. Dá ânsia de vômito, enjoo, dor de cabeça, tristeza profunda, lentidão de raciocínios, coriza e distúrbio lacrimal. Não há a mínima condição de exercer qualquer tipo de profissão. É preciso pelo menos uma semana até o corpo voltar ao normal. A cabeça demora um pouco mais e o coração, talvez nunca se recupere.

O recomeço é mais difícil, pois é preciso fazer o mesmo caminho duas vezes. Temos que voltar de onde paramos e percorrer a estrada novamente. Os erros apenas nos ensinam a lidar melhor com os obstáculos e, dependendo de como aprendemos a lição, podemos tornar o passeio até prazeroso. O problema é justamente saber se a gente guarda os ensinamentos ou se estamos prontos para errar de novo.

Poxa vida, já passei por tanta coisa e mais essa agora. Ela me deixou justamente quando eu menos esperava. Achava que estávamos na nossa melhor fase. Na verdade a gente sempre sabe que tem algo errado, mas prefere se enganar, acha que é normal, não quer enxergar e finge que dá muito trabalho começar de novo. O fato é que somos eternamente viciados no cômodo.

Não quero mais ninguém, só preciso de mim, vou cuidar de mim, viver pra mim. Mim, mim, mim. Mi-mi-mi. A verdade é que eu preciso de colo e aí eu me dou conta que não tenho isso muito antes de terminar o namoro. União com divisão de bens e sexo agendado não é relação, é cartório emocional, usucapião do corpo, jogo de interesses extraconjugal. É tudo, menos amor.

Olho para o vinho tinto (safra histórica de 2004) e procuro no tanino as respostas. A adstringência é como a verdade. Nem sempre é bom senti-la, mas ela faz parte do processo e auxilia na degustação, no sabor da perda. Vou me concentrar nesta garrafa e, quando ela terminar, vou fazer aquilo que me resta agora: Recomeçar.

Um comentário no “RECOMEÇAR

  1. Por causa desse tal recomeçar, por ele ser tão dificil é que as pessoas caem na cilada de voltar pro antigo relacionamento, aquela velha história, ruim com pior sem… ai tudo fica lindo durante 2 ou 3 meses até que as coisas voltam ao mesmo ponto…é cruel a eternidade má…

Deixe uma resposta