Amor

O DIA EM QUE DEIXEI DE TE AMAR

Não era novembro, naquele fim de tarde em que meus pensamentos finalmente despertaram. Também não era naquela sexta-feira em que te liguei e você não atendeu. Definitivamente não era no nosso aniversário de namoro em que eu recebi um presente que você pediu pra sua mãe comprar pois estava ocupada demais pra mim.

Na verdade eu não lembro o dia em que deixei de te amar.

Talvez tenha sido naquela viagem em que a ideia era nos aproximar e cada vez que eu olhava o mar entendia a distância oceânica entre nós. Incrível como alguém tão especial vai sofrendo uma metamorfose do tempo, moldada pela convivência. Difícil entender como o universo interfere quando ele quer e não há nada que você possa fazer para mudar isso.

Às vezes penso se não foi naquele jantar em que nossos olhares mal se cruzaram, pois o celular estava mais interessante. Quando trocamos apenas umas duas frases sobre como aquele lugar era bacana e resolvemos pedir o de sempre, como um sinal da mesmice que se tornou nossa vida.

Minha dúvida aumenta quando fico deitado aqui no sofá buscando suas fotos e me pergunto onde foi que perdi esse sorriso. Qual o segredo dessa felicidade congelada? Queria tanto descobrir o momento em que parei de te desvendar. Na mesma hora recordo nossas ligações na madrugada e eu juro que conseguia enxergar tua paz apenas pela respiração. Lembro quando a gente chegava em casa tarde do trabalho, você com fome, irritada, tentado arrumar as coisas pro dia seguinte e simplesmente tocar a rotina, de repente chegava pelo delivery na campainha a sua comida preferida. Eu abria o vinho e podia ver você desarmar o rosto fechado em segundos.

Sei que não foi naquela noite em que fizemos amor por vários cômodos da casa bêbados e livres pela vontade que tínhamos um do outro. Com certeza não foi quando nos reencontramos ontem e meu coração ainda apertou pelo desejo irracional de te abraçar. Foi só sentir o teu cheiro e minha cabeça foi derrotada pelo meu sentimento.

Quer saber?

Nunca vou lembrar o dia em que eu deixei de te amar.

Provavelmente porque esse dia não existe.