Sexo, Amor & Crônicas

MONÓLOGO DA VOLTA

Estranho você voltar agora, com essa cara lavada de choro implorando pelo meu abraço. Você não estava tão decidido. O tempo que você precisava pra você durou um final de semana, apenas? Já sei, saiu com todas as periguetes disponíveis na agenda e percebeu que ninguém te entende como eu, né?

Quando você vai perceber que o problema não era eu, mas a sua incapacidade de amadurecer? Nem fala nada, senta e escuta. Quer beber alguma coisa? Toma aqui essa cerveja, vou pegar mais na geladeira.

Ah, descobriu que gosta mesmo é de mim. Curioso, você não sabia disso? Ou quando você me procura durante a noite e me abraça sem querer, é apenas instinto? É sem querer? Quando me ligava no meio da tarde só pra dizer que sentia saudade de ouvir minha voz, certamente é pq você fazia isso com todas?

Cara, como você pode ser tão burro? Cala a boca, ainda não terminei.

Eu sei porque você voltou. Nenhuma trouxa vai ficar dando pra você enquanto você foge do que sente. Não bastasse, pra se enganar, continua transando com outras. Nenhuma idiota vai te acordar com carinho, fazer aquele bolo que você adora e te levar no trabalho. Nenhuma imbecil vai te cuidar do jeito que eu faço, telefonando pra você às 7h20 da manhã com medo de você perder o horário. Porque meus dias eram teus, minhas horas tinham teu perfume, meu paladar só conhecia o teu gosto.

Eu não tava preocupada com o tempo, poderia esperar você se dar conta que já gostava de mim. Que suas vindas pra minha casa já estavam mais constantes, que suas camisas tomavam boa parte do meu roupeiro e que você insistia em deixar aqui em casa aquele boné de estimação pra usar na folga. O seu preferido. Nada disso era por acaso, não éramos um caso, só você não enxergava.

Mas você preferiu fugir do nada pro lugar algum. E deu de cara com a solidão. Criou na sua cabeça uma história vazia, ao invés de viver com o coração cheio de amor comigo.

Nem precisa terminar, eu já sei. Você achou que conseguiria sem mim. E sabe por que sei disso? Porque eu também não consigo.

Shhhh, fica quieto, me dá essa latinha, toma um banho, sua toalha já tá lá pendurada, vou separar seu pijama que ficou aqui. Amanhã a gente almoça naquele restaurante perto daqui e botamos o papo em dia. Me poupe das suas peripécias, quero ouvir que sentiu minha falta. Só não te perdoo porque acabei vendo episódios da nossa série favorita sozinha. Tudo bem, eu vejo de novo e você me alcança.

Dorme bem, vou terminar meu livro do Nicholas Sparks e te encontro. Tolo, achou que poderia viver sem mim. Mais tola eu, que achei que ele não voltaria. Na fuga sempre existe o retorno, nem que seja para buscar algo que se perdeu, que ficou pra trás. Fugir nunca é a melhor escolha e esconder-se de si mesmo é o mais puro dos erros. É um acerto tentando errar, pois a gente perde o controle da vontade e sempre volta pros braços de quem ama.

Bebi demais, quero ver acordar amanhã. Vou colocar o despertador pra acorda-lo. Amanhã recomeçamos a viver.

Deixe uma resposta