Amor, Café das Segundas

DEJA VU

deja-vu

Quando vivemos uma história, nos entregamos completamente. Vivemos uma vida compartilhada, com experiências trocadas, um envolvimento intenso, profundo, que mistura manias, relatos, vivências. São detalhes que pertencem exclusivamente àquela relação.

No término, sofremos exatamente por não sermos mais donos daquela vida a dois. Nos tornamos apenas um. Falta um pedaço e é preciso reconstruir uma parte de nós, partida naquele momento.

O tempo passa e tudo passa. Passa mesmo. Cicatrizamos as feridas, curamos os medos, nos levantamos calejados e até mais fortalecidos pois a vida continua e ela não espera por você. Então só nos resta caminhar.

Conhecemos outro alguém e inevitavelmente mergulhamos em uma nova história, com novos capítulos, com a família dela, os irmãos, o gosto por seriados, por acordar cedo, de dormir com a TV ligada. Frequentamos mais o cinema do que normalmente e até museus entram no calendário pois é hábito da nova sogra. Saímos de casa para um novo mundo e aos poucos ele se torna o nosso mundinho de viver feliz e acompanhado.

O mais curioso acontece quando relembramos histórias passadas, nossos antigos relacionamentos. Olhamos fotos, seja por aquela espiada natural ou porque alguém nos mostra. Encontramos na rua, ouvimos alguém comentar a respeito. Em todas essas situações, somos tomados por uma sensação no mínimo esquisita. Parece um Deja Vu. Sabe quando você sabe que já viveu algo, mas não tem certeza se foi nessa vida?

Até uma foto com vocês dois enquadrados no maior LOVE, com a comprovação da existência daquele amor, soa estranho. Parece inverossímil, Photoshop, sei lá. Você tenta lembrar de momentos felizes e eles remetem a um retrato com alguém embaçado na imagem. Por vezes você até se pergunta se tinham alguma coisa em comum. É uma forma bizarra que cérebro e coração adotam para fazer você superar o que passou.

Não estou falando de mágoa, esquecimento, rejeitar o que viveu. Todas as pessoas que passam pela nossa vida são importantes para o nosso amadurecimento, autoconhecimento e aprendizado emocional. Todas. Escolhemos na hora porque nos fez bem de alguma forma. Construímos relações mais duradouras ou não dependendo do grau de intensidade do nosso sentimento, do contexto de nossas vidas na época. Uma pessoa bem resolvida jamais passa por cima de escolhas que ela mesma fez, de erros cometidos ou de paixões consumadas. Elas existem e sempre nos provam algo.

Mas é inegável a estranheza dos olhos ao se ver ao lado de quem você dividiu o leito, cedeu o peito e que hoje você desconhece.

O Deja Vu amoroso é inexplicável. Assim como os sentimentos. Assim como se apaixonar.

5 comentários no “DEJA VU

  1. Às vezes, a vida nos prega peças, é o passado volta com mais intensidade, porque um grande amor, nunca é esquecido, fica guardadinho….aconteceu comigo e vou te contar….tive um relacionamento intenso, meio proibido, pois ele era meu aluno, na época ele com 16 anos e eu 33 anos…..fui sua primeira mulher e ele meu grande amor, com o tempo tudo deu certo, a família dele me amava, tudo era maravilhoso! Depois de 3 anos, acabou, sofri,chorei, mas em pouco tempo ele foi substituído, mas não era o mesmo amor… Sabe, me casei, soube que ele tb se casou 5 anos depois, eu não o vi mais, mas ele, segundo soube depois, me seguiu a vida toda, sabia cada passo que eu dava, nesse tempo meu marido ficou muito doente, 15 anos sofremos, faleceu. Após 26 anos, quem me aparece? O menino, meu grande amor, nunca esquecido….foi infeliz no casamento, nunca me esqueceu, separou e voltou, e trouxe todo amor do passado… e aqui estamos juntos novamente, e abençoado pelas duas famílias que entenderam que não importa idade, o amor vai além do que os olhos vêem. Tenha um lindo dia!

  2. Chico Garcia,

    Sou seu fã. Já era só o vendo como comentarista quando participava do jogo aberto la de porto alegre e continuei fã depois que veio pra SP e participa ainda mais do programa.
    Mas depois ver o seu site me tornei mais ainda.Gosto muito como aborda as relações humanas além do que os olhos podem ver.
    Espero que se de muito bem em SP por que voce é uma pessoa do bem, nota-se isso só de olhar pra voce mesmo que seja pela televisao.

    Grande Abraço,

  3. Chico, tudo bem?
    Sei que aqui não é um blog esportivo, mas tenho muita vontade em ser jornalista assim como você, qual o segredo pra ter tanto e como faço pra me integrar de vez, na profissão e quem sabe eu narrar um jogo com você comentando. Gostaria de algumas dicas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *