Amor

CARTA PRA EX

 

Olá, ex, tudo bem? Sei que não falamos há algum tempo, mas volta e meia penso em você. Não, não quero voltar, só não me conformo com essa convenção esdrúxula de que só porque terminamos não posso saber de você. Tá bem, sei que o seu atual não iria gostar, por isso respeito. Não me contive, porém, e cá estou para te perguntar algumas coisas:

Você continua com dificuldades pra acordar? Lembro daquela carinha de sono cobrindo o rosto com o travesseiro incomodada com a luz que entrava no quarto. E do café mais forte, passado com grão torrado com a temperatura da água antes de ferver naquele coador de estimação que te dei de presente. Chego a sentir o cheirinho pela casa enquanto escrevo.

Você continuou aquela série medieval que paramos na quarta temporada? Eu não tive coragem de seguir, seria difícil não ter com quem comentar os episódios. Mas se você avançou não tem problema, só evite spoilers por favor quando me ver. Comecei uma de serial killers que você iria gostar, certeza. Ainda assiste com o controle remoto na mão? Agarrada no travesseiro preferido? Como é o nome dele mesmo? Naninha? rs… (sem julgamentos, juro)

Aquele joanete ainda incomoda? Espero que você esteja recebendo as massagens que aliviam a dor antes de dormir. Movimentos circulares com os polegares do centro do pé para o lado externo e depois acariciando levemente a parte lateral para evitar que fiquem secos demais. Melhor que calmante.

A comida preferida era Risoto de gorgonzola com damasco. Ele faz pra você? Não que seja da minha conta, é só preocupação mesmo. Você retomou as aulas de francês que tanto queria? Não deixe ninguém atrapalhar seus sonhos. Aquela viagem pra Machu Pichu já saiu? Pelo que andei olhando no Instagram, não.

E as pedaladas de domingo?

Os barzinhos de sexta?

O sexo matinal de terça-feira?

Seus pais, seu irmão e o tobby, aquele cãozinho que eu morro de saudade?

Me perdoe a indiscrição é que eu me acostumei com tudo isso por tanto tempo que é difícil viver uma vida que não seja a sua ao lado da minha.

Estou ouvindo o conselho de Oswaldo Montenegro: “que a mulher que eu amo seja pra sempre amada, mesmo que distante.”

E não é que ele tem razão?!

Se você estiver bem meu coração estará reconfortado. Agora, se esse cara não entende que você precisa escovar os cabelos durante 40 minutos após o banho, que fica louca vendo jogo do seu time e que detesta áudios no whatsapp, pense no que está fazendo.

Repito: não quero voltar. E isso não tem nada a ver com o fato de que você adora ser desafiada e detesta ouvir uma negativa. Juro!

Adeus e seja feliz!

P.S. estou naquele barzinho de sempre, acabei de pedir nossa porção de filé acebolado e uma caipirinha de saquê de limão que você adora.