Sexo, Amor & Crônicas

APAIXONADA

 
Oh sensação gostosa que toma conta da gente. Desatina, abala a respiração e muda a forma da gente enxergar a vida. Tudo ganha cores e as flores desabrocham de repente. A partir de então, vivemos numa constante primavera emocional. A paixão modifica a paisagem do dia, nossos sentidos passam a ter sentido. Nosso coração respira diferente. O corpo responde e a alma sorri. Pronto, você está apaixonada!
 
Logicamente nem tudo são flores, pois nem sempre somos correspondidas, mas mesmo aquele estado de vulnerabilidade nos atrai. É uma espécie de masoquismo sentimental. Preferimos ficar assim: absortas, boquiabertas e por vezes até abobadas. Sintomas de uma sensação que ignoramos o significado, até presenciá-la dentro da gente. Uma entrega da alma dentro do próprio corpo. Já não controlamos mais e é incrível como isso pode ser maravilhoso!
 
No despertar, penso nele antes mesmo de abrir os olhos. Todos meus passos marcam a presença daquele sorriso encantador, aquele olhar que me desmonta. Que capacidade para me balançar, mexer com a minha vida. Me sinto num terremoto existencial e, mesmo assim, não consigo esconder minha felicidade em sentir algo tão bom, tão forte e ao mesmo tempo tão puro. Tem sintomas de amor, mas é paixão. Não amadureceu ainda, não há convivência e tampouco consciência dos defeitos e manias daquela pessoa. Paixão é o prefácio de uma Love Story, irrompe o sossego, arranca a paz da gente e nos leva para um mundo desconhecido, de aventura e descoberta do próprio ser, das próprias vontades. A gente se questiona diariamente como conseguiu viver até aqui, sem esse furor dentro do peito.
 
Ouço um acorde de violão e começo a chorar. Procuro letras de músicas que traduzam nossa história. Passo o dia inteiro contando um enredo nosso na minha cabeça, planejo nossas horas juntinhos e nada mais importa, apenas o desejo de estar contigo, de ser sua. Penso na gente deitados na grama contando as estrelas, viajando de carro com aquele vento no rosto, ou então abraçados na nossa máquina do tempo, onde congelamos os minutos e suspiramos com os corpos entrelaçados. Vivo realizando sonhos na minha imaginação. E isso me conforta.
 
Estar apaixonada é flutuar sem se preocupar com a queda, é arriscar para matar a sede da saliva, do suor da pele, abdicar dos próprios pensamentos para entregá-los a uma só pessoa. Apaixonada, burra, boba, idiota, mas feliz. Lembrar dele desde a hora de vestir a roupa, passando perfume, ajeitando o cabelo e até quando postamos uma frase no Facebook. Esperar que ele curta, comente, interaja, saiba da nossa existência. Apaixonar-se é alimentar-se da atenção alheia para seguirmos em frente. É encantar-se com uma nuvem que cerca o sol, com a chuva batendo no vidro, com o frescor de uma nova vida.
 
Estar apaixonada é viver além do permitido, é descobrir que existe algo maior do que os limites do corpo. Estar apaixonada é o vestibular da vida amorosa, teste de fogo para a escola do amor. Estar apaixonada é tão bom quanto perigoso, mas não trocamos essa sensação por nada. Mesmo que o desapego nos machuque, a dor não é maior do que a vontade de viver uma paixão novamente.
 
Paixão pode ir e voltar, pode doer e machucar, mas enquanto ela permanece, nos traz uma felicidade incomum, restrita apenas aos apaixonados. Eu amo estar apaixonada e me apaixono a cada dia por essa vontade de viver.
 
Estar apaixonada é estar feliz!

Um comentário no “APAIXONADA

  1. vininha já dizia… a vida só se dá pra quem se deu, pra quem amou, pra quem sofreu.
    eu que só me apaixonei uma vez… e foi uma das maiores turbulências vividas em minha vida (e ainda está sendo…) concordo e digo: não me arrependo de a ter conhecido e me apaixonado… mesmo sem estarmos juntos… mesmo ainda apaixonado. a experiência é única !
    edmarciano.blogspot.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *