Sexo, Amor & Crônicas

AMOR VIRTUAL

amor-virtual

Te quero tanto que dói só de olhar sua foto. É dolorido de verdade ver você sorrindo pra mim, imaginando como seria tocar suavemente meu rosto no teu, sentir tua pele macia, o cheiro dos teus cabelos. É um aperto no peito inexplicável, sensação de querer como poucas vezes senti na vida. E ouso a dizer que, nesta intensidade platônica, jamais vivi algo parecido. Fico horas olhando tua alegria congelada no computador e me pergunto como chegar até você. Entrar no teu mundo, participar da tua vida. Das tuas fotos.

O pior é que nunca te vi. Não sei o perfume que você usa, nem o timbre da tua voz. Me sinto um louco obsessivo, mas as nossas conversas no msn me iludiram. Eu achei que poderia, um dia, sair da internet. Foi tudo real demais e ainda sinto as consequências desse abandono na pele, mesmo sem tê-la tocado de fato.

Estou ficando louco, apaixonado por alguém que não exste. Na verdade você se tornou mais presente do que qualquer pessoa que já tive e isso é o mais assustador. Onde eu ia, lá estava uma mensagem de apoio no celular. Minha meta do dia era chegar em casa e achá-la conectada. Poder dividir o que comi na janta, o que fiz de bom, as dificuldades que passei e me distrair entre uma risada e outra, entre a angústia de sequer vê-la e o desejo de um dia poder tocá-la.

Por que a gente não se encontrou? Não sei. Rotina árdua, escolha divina, o acaso trabalhando contra, coisas assim. Não tenho a resposta, mas sei que você me marcou como ninguém. Preferia que fosse apenas mais um amor virtual. Não foi.

4 comentários no “AMOR VIRTUAL

  1. É cara, isso realmente não é fácil… O pior é quando você encontra a pessoa. Conheci uma garota em um chat, e ai começou tudo, logo acabou, eu nunca a vi… Mas depois de 4 anos nos reencontramos virtualmente, o amor parecia ter nos escolhido de novo, nos abraçado. Finalmente a conheci pessoalmente, e o destino meio que por brincadeira, acabou com o sentimento mais lindo que já senti e sinto até hoje. E a perdi novamente. Enfim, grandes palavras, abração.

Deixe uma resposta