Amor

AMOR PRÓPRIO

Não é fácil amar a si mesmo. Travamos uma briga interna, uma disputa entre orgulho e vontade, cérebro e coração. Colocar-se à frente do mundo exige força e muita personalidade. Confundimos altruísmos com burrice, egoísmo com felicidade. A verdade é que ninguém além de você pode te fazer feliz.

Não raro, abaixamos a autoestima para entregar a quem não merece as chaves do nosso coração. Permitimos que o outro exceda limites, contrariamos nossa lógica, damos demais para receber de menos. E só percebemos quando matamos o amor próprio dentro de nós. Sentimento que custa a ser resgatado. Mas é preciso.

Ela fuma dentro do carro que ninguém pode, ele bebe mais do que deve e se exalta com seus amigos. Ela tem um ciúme possessivo que te embaraça, ele usou da força física e você deixou passar. Ela não quis conhecer a sua família e você não deu bola. Ele não te ama como deveria. Vcs gritam um com o outro, já não há mais sintonia na cama. Não existe mais relação. E mesmo assim, a gente continua. Persistência não pode virar teimosia.

Você entenderá o significado de amor próprio quando der adeus a uma pessoa ainda gostando dela, no auge do sentimento. Uma despedida baseada na falta de entendimento, uma desistência da relação que não se sustenta apenas com um amor unilateral. Lembre-se: apenas amor nunca é o suficiente.

Abrir mão de quem amamos pela nossa felicidade é a maior prova de amor próprio. É preciso entender que amar e ser feliz nem sempre são coisas que andam juntas. Uma escolha difícil, claro, mas de nada adianta amar o outro em detrimento de si mesmo. Você é e sempre será sua melhor companhia. E seu amor mais recíproco.

Ninguém precisa ficar sozinho para se realizar, mas é importante um autoconhecimento, uma introspecção para entender o mundo lá fora. Observar o eu para compreender os seres, a vida, tudo que está ao nosso redor. Uma viagem que começa de dentro pra fora, que ensina como o amor pode amadurecer, mesmo que não seja correspondido, mesmo que seja pra quem não merece, mesmo por aquele cruel e destemido amor bandido.

Amor próprio é reinventar o próprio sorriso e dele depender apenas para conquistar a própria felicidade.

Eu me amo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *