Sexo, Amor & Crônicas

AMOR OU PAIXÃO?

Melhor amar de imediato, ou gostar com o tempo? O chamado “amor à primeira vista” é raro, mas existe. É possível, até mesmo, amar antes de ver. É uma sensação de que algo surgiu dentro da gente, impactou de forma inesperada, como uma reação que o corpo conhece e reconhece ao mesmo tempo. Nessas horas, o coração percebe a pessoa antes dos olhos. Ouvimos falar, sabemos da existência, olhamos a foto e há uma clara energia atrativa, uma curiosidade por saber mais, uma identificação entre os sorrisos.

 
Amar no primeiro olhar é raridade, porém verdade.
 
Por mais que esse amor repentino seja hollywoodiano, literário, personagem de uma fantasia ou uma ilusão da felicidade, prefiro a construção dos sonhos. Gosto mais da ternura diária, dos conflitos gerando culpa e a vontade de estar perto. Daquele desejo invadindo a alma, até se tornar incontrolável, arrancando risos e suspiros, certezas no lugar de dúvidas, alegria ao invés de desconfiança.
 
O amor é a maturidade da paixão. Ele permanece apesar dos defeitos, insiste em buscar nossa felicidade, mesmo com os erros cometidos. O amor não se empolga com o êxtase da paixão, com as reações exacerbadas da descoberta dos sentidos da pele. Ele já conhece a rotina, já foi provado no despertar, no atraso das horas, na pressa do dia a dia. O amor é consciente, maduro e sensato.
 
Se provocar loucura, não é amor. É paixão.
 
Amar com o tempo significa serenidade, porém não sem novidade. Não é preciso calmaria para ser estável. O amor construído através dos anos cria uma familiaridade com o cheiro do outro, uma sintonia telepática, um tesão por inventar na cama e descobrir os limites da pessoa amada. Amar assim é encontrar no tempo um amigo fiel, viver a vida num céu claro de outono. É estar tranquilo pela companhia e inquieto pela felicidade dela.
 
O furor dos primeiros dias é muito parecido com amor, mas é apenas uma ilusão do que pode acontecer. Essa ansiedade pode até se transformar em amor, mas será preciso uma dose de erros primeiro. Não existe amor sem ódio, sem tropeços, sem falhas ou  sem defeitos. A esperança é justamente que o tempo aprimore aquela sensação inicial de perfeição – que não existe. O sentimento de união adquirido através dos anos consegue superar o próprio amor.
 
Paixão é bom, mas amor é melhor. E apaixonar-se pelo seu amor, é simplesmente o segredo da felicidade.

7 comentários no “AMOR OU PAIXÃO?

  1. E o quê dizer das turbulências? O quê fazer quando a gente percebe que ama, mas não está sendo correspondido? Conviver com a dor de achar que um dia tudo vai ser melhor no relacionamento ou deixar partir o amor da nossa vida para que ele, também, possa amar?

  2. O amor supera! O amor perdoa! O amor ensina! O amor… Três pequenas palavras que simbolizam um imensidão de sentimos puros e as vezes covardes. Conviver com ele não é fácil mas é muito bom.

  3. Acompanho as suas publicacoes a uns tres meses. Fiquei seu fa. Seu trabalho e lindo. Admiro a sua intimidade com as palavras. Li uma publicacao sua e, parece que era tudo que eu tinha vontade de falar ou escrever. Abracao e parabens.

  4. É difícil ter que abrir mão da pessoa amada, para que ela possa viver outra história… mas torço pra que um dia, "em uma curva do caminho", possamos no reencontrar… Ah, como eu amo essa pessoa! Deixa-la-ei partir para que, se o amor for verdadeiro, ela volte para mim! Pq, se o amor tiver que ser implorado, não é amor. Só voltará se for amor verdadeiro.

  5. Nossa é o amor que nos faz leve, eu e meu namorado nos apaixonamos no mesmo momento é aquele amor a primeira vista. Nossa!

    sentimento bom de viver em dezembro noite de Natal começou o nosso namoro. Ele pediu logo pra Namorar. E eu aceitei. Posso dizer que desde então conseguir amar e ser amada. Oh sentimento gostoso e prazeroso de ser vivido.
    Obrigado pelas ricas palavras:
    Chico, entendi o que é amor e paixão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *